A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Balneário Barra do Sul, que está sendo erguida no Bairro Pinheiros, terá um dos mais complexos sistemas de filtragem do esgoto doméstico. A ETE foi projetada para Tratamento Terciário, processo que remove inclusive fósforo e nitrogênio dos dejetos que serão devolvidos ao Canal do Linguado.

Com capacidade para tratar até 73 litros por segundo, a unidade faz parte do Sistema de Esgotamento Sanitário, um investimento de R$ 46.798.047,00, valores provenientes de financiamento firmado com a Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA).

O Tratamento Terciário conta também com desinfecção por ultravioleta. O efluente final, depois de tratado, será devolvido a um dos principais canais naturais da região, contribuindo para a balneabilidade das praias da região.

Essa é a expectativa de Mércia Madalena Fonseca Mafra, 68 anos, que mora às margens do Canal do Linguado há 19 anos. “Aqui em nossa região ainda há saídas de esgoto na lagoa, e as fossas e sumidouros são pouco eficientes. Consigo observar claramente que o canal está poluído”, comenta.

A ETE começou a ser construída em julho do ano passado, com as equipes de trabalho seguindo todos as normas sanitárias de prevenção à Covid-19. Passados dez meses, cerca de 60% da execução civil está concluída, com uma estimativa de término até o início do próximo ano, quando a estação estará pronta para receber o maquinário elétrico e hidráulico.

Em outra frente de trabalho, 90% de toda a rede coletora de esgoto da primeira fase de implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário de Balneário Barra do Sul já está instalada. Ainda restam cerca de dois quilômetros a serem instalados, na Avenida Amândio Cabral e na Rua Manoel Ferreira.

O sistema conta com seis elevatórias de esgoto, responsáveis por bombear até a Estação todo o esgoto coletado em 3.091 residências atendidas nesta etapa do projeto, que cobrirá 52% da cidade. Serão aproximadamente 17.500 moradores e visitantes atendidos com saneamento básico.

LIGAÇÕES NÃO ESTÃO AUTORIZADAS
A CASAN lembra, porém, que os moradores ainda não podem conectar o esgoto doméstico aos tubos coletores. Para que o esgoto seja devidamente coletado e tratado, todo o Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) deverá estar concluído e em operação. A interligação, agora, traria graves prejuízos ao ambiente da região, inclusive à balneabilidade das praias.

Atenção: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Barra do Sul.