A Prefeitura de Balneário Barra do Sul decretou estado de emergência em 4,1 km do canal do Linguado. A medida, que foi anunciada pelo prefeito Ademar Borges (PMDB), é uma tentativa de agilizar o recebimento de R$ 1,2 milhão do governo federal para tentar sanar o problema de assoreamento do canal.

O problema está comprometendo a navegabilidade e atrapalhando a pesca e o turismo, que representam mais de 85% da economia do balneário.

— É uma necessidade ambiental. Do jeito que está, há problemas para nós economicamente, afetando os pescadores —, diz o prefeito.

Na semana passada, ele foi até Brasília tentar liberar os recursos com o Ministério da Integração Nacional. A visita foi para mostrar a urgência do recurso e também entregar a licença ambiental que faltava para que pudesse ser destravado o recurso, retido desde 2009.

Se não for feito o desassoreamento (retirada de sedimentos) do canal, com custo orçado em R$ 620 mil, barcos pesqueiros da região podem ficar impedidos de saírem para pescar no mar, além de afetar o ecossistema da região.

Caso seja realizada, uma dragagem ao longo do canal irá garantir um calado de, no mínimo, três metros. Enquanto isso, serão removidos cerca de 262 mil m³ de areia, que serão usados para recompor a praia e preencher uma curva do canal do Linguado.

A NOTÍCIA

Atenção: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Barra do Sul.