Pesca, turismo, comércio, construção civil e a saúde pública ganharão maior qualidade com investimentos no setor

A implantação de um Sistema de Esgotamento Sanitário afeta positivamente toda a economia de uma região, como já ocorre em Balneário Barra do Sul, onde a obra movimenta uma cadeia produtiva local. Quando concluído, o empreendimento se refletirá em setores como pesca, turismo, imobiliário, saúde pública e comércio.

Oceanógrafo com mestrado e doutorado em Aquicultura, o professor universitário Gilberto Manzoni observa que a pesca será uma das áreas impactadas. “O tratamento de esgoto modifica radicalmente a balneabilidade de uma cidade, gerando uma melhora na pesca e maricultura”, analisa ele. Em Balneário Barra do Sul há cerca de 350 pescadores cadastrados na Colônia de Pesca.

Também o turismo e o lazer são diretamente beneficiados. Atualmente, o Instituto do Meio Ambiente (IMA) realiza testes de balneabilidade em três locais do município. Nas duas regiões mais centrais (Prainha da Foz do Rio Linguado e em frente à Rua Otto Fiedler) as análises apontam, com frequência, a falta de balneabilidade. Ou seja, há coliformes fecais acima dos limites permitidos, tornando o local um risco à saúde dos banhistas.

O médico clínico geral Virlei Primo Junior analisa que os impactos positivos vão muito além da economia em saúde pública. “A população ganha em qualidade de vida e evita doenças como dengue, leptospirose, diarreias causadas por parasitas, bactérias, dentre outras, que levam a sociedade a procurar com mais frequência os serviços de saúde, aumentar o número de internações hospitalares e gerar gastos ao município”, diz Primo Junior.

No setor imobiliário, a tendência também é a valorização dos imóveis e uma maior procura de empreendedores da construção civil. “Hoje, os investidores têm dado mais valor a cidades que têm essa preocupação sanitária. O saneamento valoriza a cidade, atraindo empresas da construção civil, gerando emprego e renda”, afirma o corretor de imóveis, Márcio Garcia.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) avalia que a cada R$ 1 investido em saneamento básico há uma economia média de R$ 9 em saúde pública. O Governo do Estado, por intermédio da CASAN, está investindo R$ 46.798.047,00 na obra de Balneário Barra do Sul, recursos provenientes de financiamento firmado com a Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA).

Texto e fotos, Felipe Franco
FRANCO! Comunicações
(47) 9 9926.3924

Atenção: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Barra do Sul.